O contrassenso da CPMF
O governo federal insiste num equívoco: empenha-se na ressurreição da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira, a CPMF,  cujo enterro, com salvas de palma da sociedade, ocorreu no dia 31 de dezembro de 2007.
 
Ele não se emenda. Quer porque quer restabelecê-la, como se ela pudesse, a essa altura da marcha à ré na economia brasileira, resolver todos os males aqui ocorridos, em especial nos anos recentes.
 
A CPMF até que foi uma boa ideia. E, mais do que uma boa ideia, uma generosa iniciativa do médico e humanista Adib Jatene, falecido aos 85 anos, em novembro de 2014. O propósito do que então se chamava Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), era destinar os recursos arrecadados para retirar a saúde pública da UTI.
 
Mas o IPMF mudou de nome, virou “Contribuição”, e passou a servir também a outros fins. A alíquota, que originalmente era da ordem de 0,2% nas contas correntes, aumentou para 0,38% e assim poderia continuar aumentando, não fosse a pressão da sociedade para neutralizar e, em seguida, sepultar de vez o imposto famigerado.
 
Hoje, oito anos depois, o governo quer ressuscitá-lo. Será providência fácil. Basta que haja a aprovação do Congresso Nacional. Mas, como conseguir tal contribuição, se até aqui ele não conseguiu fazer a sua lição de casa? Só para registrar: ele não conseguiu equilibrar as contas públicas; não teve competência para assimilar as idas e vindas da economia interna e externa  e, a partir daí,  incrementar as atividades econômicas; não conseguiu hierarquizar as exigências para investir em infraestrutura e não teve meios para prever que a situação, no geral, descia escada abaixo. Tanto é que, segundo os dados apurados e divulgados até ontem, o País perdeu 1,5 milhões de postos de trabalho com carteira assinada ao longo de 2015.
 
Nesse cenário, exigir o retorno da CPMF é, no mínimo, uma desfaçatez.
 


sexta-feira, 22 de janeiro de 2016
Fonte: Nildo Carlos Oliveira
Publicidade
  • contato internacional
  • app ranking
  • Linha do Tempo
  • Guindaste Terex instala ponte metálica

A Revista

- Perfil

- Publicidade

- Assinaturas

Eventos

Contato

Rua Marquês de Paraná, 471
Cep: 05086-010 - sala 10 - Alto da Lapa - São Paulo/SP
Fone: (11) 3895-8590

 

500 Grandes

Edições

 
 
A republicação e divulgação de conteúdos públicos são permitidas, desde que citados fonte, título e autor. No caso dos conteúdos restritos, não é permitida a utilização sem autorização do responsável. É totalmente livre a citação da URL do Portal (http//www.revistaoempreiteiro.com.br) em sítios e páginas de terceiros.
© 2017 - O Empreiteiro - Todos os direitos reservados.
Tendenza Tecnologia