Maior PPP de saúde do Reino Unido termina fase de obras

No Royal London Hospital foram construídos novos prédios no complexo
 
Os projetos de reforma e ampliação, ao custo de 1,1 bilhão de libras, dos históricos hospitais St. Bartholomew e The Royal London, ambos na capital inglesa, terminaram a fase de obras em fevereiro. Trata-se da maior parceria público-privada (PPP) hospitalar já feita no Reino Unido, um país com tradição na modalidade.
 
O Royal London Hospital é o principal centro de traumatologia da capital inglesa e o segundo maior de pediatria. Já o St. Bartholomew’s Hospital, com a transformação, tornou-se referência no tratamento de câncer e de problemas cardíacos. Juntos, eles oferecem 1.248 leitos.
 
O objetivo do governo com a PPP foi reduzir custos de operação dos hospitais, aumentar a eficiência na gestão e transferir riscos de projetos e obras à iniciativa privada.
 
A PPP, em sua fase de obras, envolveu a reconfiguração e reorganização das acomodações clínicas dos dois hospitais de Londres. O órgão HCP Social Infrastructure foi o ente público que fez a interface na etapa de projetos e construção, com o consórcio privado ganhador da PPP, chamado Capital Hospitals Limited, formado pela alemã Skanska (37,5%), o grupo investidor inglês de projetos de infraestrutura social Innisfree (50%) e o Dutch Infrastructure Fund (12,5%). A concessionária é responsável pelas obras e reformas, além dos serviços de manutenção durante o período de 42 anos de concessão.
 

No Saint Bartholomew houve demolições e reformas substanciais
 
A construtora Skanska se envolveu fortemente no desenvolvimento do projeto e construção em ambos empreendimentos, ao lado do HCP, para atender a contento as necessidades relacionadas em contrato.
 
No Royal London foram demolidas 13 edificações e erguidos 17 novos prédios, tornando o hospital o maior da Europa. Já no St. Bartholomew, foi executado um extenso retrofit na estrutura construída há quase mil anos.
 
A construção e reforma foram extremamente delicadas porque os dois hospitais continuaram em plena operação em todas as fases das intervenções.
 
A fase 1 do Royal London, finalizada em 2011, representou as demolições e a entrega de três novas torres que somaram 148 mil m² no total. Na fase 2, que foi até 2014, ocorreu a reforma da parte antiga do hospital.
 
No St. Bartholomew, a primeira fase terminada em 2010 foi de construção; em 2014 concluíram-se as reformas do antigo prédio. Em fevereiro deste ano, foram finalizadas as demolições previstas no St. Bartholomew e a reforma estrutural do antigo prédio.
 
O projeto foi financiado com empréstimo do European Investment Bank e bancos ingleses e alemães. O valor de todo o contrato de concessão, até 2048, é de US$ 9,42 bilhões.
 
Mais de 130 PPPs
As parcerias público-privadas (PPPs) na área de saúde no Reino Unido já têm mais de 20 anos. Pelo menos 130 projetos já foram implementados nesse tempo.
 
Essas parcerias usam o melhor em termos de competência dos setores público e privado para prestar serviços eficientes ao National Health Service (NHS).
 
O conjunto completo das PPPs no Reino Unido envolvem formação e treinamento, infraestrutura para saúde, serviço de saúde digital, serviços clínicos e desenvolvimento de sistemas de saúde.
 
Os aspectos específicos do desenvolvimento da infraestrutura envolvem serviços estratégicos e planejamento de negócios; financiamento de projetos; engenharia civil, estrutural e construção; planejamento de segurança e resiliência; gerenciamento de projetos; planejamento, aquisição e instalação de equipamentos; comissionamento; gestão e operação; e reaparelhamento e reúso. Para tanto, existe uma cadeia de fornecedores de larga experiência no setor hospitalar.


terça-feira, 30 de agosto de 2016
Fonte: Redação OE
Publicidade
  • contato internacional
  • app ranking
  • Linha do Tempo
  • Guindaste Terex instala ponte metálica

A Revista

- Perfil

- Publicidade

- Assinaturas

Eventos

Contato

Rua Marquês de Paraná, 471
Cep: 05086-010 - sala 10 - Alto da Lapa - São Paulo/SP
Fone: (11) 3895-8590

 

500 Grandes

Edições

 
 
A republicação e divulgação de conteúdos públicos são permitidas, desde que citados fonte, título e autor. No caso dos conteúdos restritos, não é permitida a utilização sem autorização do responsável. É totalmente livre a citação da URL do Portal (http//www.revistaoempreiteiro.com.br) em sítios e páginas de terceiros.
© 2017 - O Empreiteiro - Todos os direitos reservados.
Tendenza Tecnologia