Construção dos dutos OCVAP I e II
Em outubro de 2013, a Azevedo & Travassos (A&T) firmou contrato com a Petrobras para a construção e montagem dos dutos terrestres (OCVAP) I e II. Esse empreendimento interligou a Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba (UTGCA) à Refinaria Henrique Lage (REVAP), ambas em São Paulo, incluindo instalações específicas na UTGCA e na REVAP, em Caraguatatuba e São José dos Campos, respectivamente. O assentamento dessas tubulações foi realizado de forma simultânea em duas valas.
 
A execução deste contrato, que passou pelas cidades de Caraguatatuba, Paraibuna, Jambeiro e São José dos Campos, envolveu aproximadamente 1.200 profissionais que atuaram em frentes de serviço distintas.
 
Cada duto desse empreendimento possui aproximadamente 68 km de extensão e 8” de diâmetro. O Duto OCVAP I transfere GLP, enquanto o OCVAP II transfere C5+, ambos da UTGCA para a REVAP, seguindo o mesmo traçado do GASTAU (Gasoduto Caraguatatuba-Taubaté).
 
O contrato exigiu dos profissionais da Azevedo & Travassos conhecimento e capacidade técnica para enfrentar os mais diversos desafios de engenharia, como os que seguem em destaque:
 
- Trabalho em terrenos inclinados – Para executar suas atividades, os profissionais da A&T tiveram que enfrentar rampas com inclinações da ordem de 37° a 44° em trechos com extensões de até 4 km. Nesses trechos, para a utilização de máquinas e equipamentos, como por exemplo, escavadeiras, tratores e side-boom, visando à segurança de todos, fez-se necessário o procedimento de ancoragem. Em um dos trechos mais desafiadores existiam canaletas estaqueadas feitas de concreto armado, longitudinalmente e transversalmente, em toda a sua extensão.
 
- Construção de áreas de válvulas – Ao longo dos 68 km de duto foram feitas oito áreas de válvulas, sendo quatro delas de válvulas acionadas remotamente e quatro com acionamento local. Na área de válvulas do km 16 da faixa de duto foi necessário fazer uma terraplanagem com três bermas.
 
- Construção de áreas de bombeamento, medição, controle e de lançamento e recebimento de pigs nas extremidades de cada duto - Foram instalados nas estações UTGCA e REVAP dois lançadores de pigs, válvulas motorizadas, transmissores e indicadores de pressão, temperatura, vazão e densidade, além de uma grande quantidade de tubulações que servem de interligação entre o sistema de bombeamento e o duto. Na UTGCA foram instalados quatro skid’s moto-bombas principais, quatro auxiliares e um sistema supervisório para a operação automática do duto, permitindo, assim, operação remota e local. Toda a transmissão de dados é feita através de uma rede de fibra-ótica instalada na faixa com sistema de segurança avançado (SIL).
 
Além dos desafios de construção associados à geografia local, próximo à Serra do Mar, foram desafiadoras as exigências ambientais, uma vez que o duto OCVAP passou por áreas de preservação ambiental. Por conta disso, a A&T foi responsável por conduzir diversos programas ambientais, tais como o Programa de Educação Ambiental, de Gestão do Patrimônio Cultural (arqueologia), de Salvamento da Fauna e de Monitoramento de Qualidade da Água nas travessias de corpos d’água. 
 



quarta-feira, 31 de agosto de 2016
Fonte: Redação OE
Publicidade
  • JLG
  • Novas obras e Investimentos,
  • mwm
  • Rankng das Concessionarias
  • Linha do Tempo
  • Guindaste Terex instala ponte metálica

A Revista

- Perfil

- Publicidade

- Assinaturas

Eventos

Contato

Rua Marquês de Paraná, 471
Cep: 05086-010 - sala 10 - Alto da Lapa - São Paulo/SP
Fone: (11) 3895-8590

 

500 Grandes

Edições

 
 
A republicação e divulgação de conteúdos públicos são permitidas, desde que citados fonte, título e autor. No caso dos conteúdos restritos, não é permitida a utilização sem autorização do responsável. É totalmente livre a citação da URL do Portal (http//www.revistaoempreiteiro.com.br) em sítios e páginas de terceiros.
© 2017 - O Empreiteiro - Todos os direitos reservados.
Tendenza Tecnologia