Triunfo Concebra aplica R$ 4,2 bilhões nas estradas concessionadas
Estes recursos se destinam ao período de maior volume de obras, que devem começar este ano
 

Cerca de 70 km do sistema já foram duplicadas
 
Responsável por 1.176,5 km de rodovias, a Triunfo Concebra tem uma quantidade expressiva de obras e intervenções no sistema viário sob sua administração. A concessionária arrematou em dezembro de 2013 o lote composto pelas rodovias BR-060/153/262 (DF/GO/MG) – são 630,2 km da BR-060 e da BR-153, além de 546,3 km da BR-262.
 
Até o momento, segundo a Concebra, já foram investidos no sistema próximo de R$ 1,4 bilhão, com expectativa de investimento de mais R$ 4,2 bilhões a partir deste ano até 2021, período no qual se concentra o maior volume de obras, totalizando cerca de R$ 11,8 bilhões ao longo dos 30 anos de concessão.
 
De acordo com a diretoria de Engenharia da Triunfo Concebra, até o sexto mês da concessão, a prioridade foi assumir a operação da rodovia com a inspeção de tráfego rotineira, atendimento médico emergencial, o socorro mecânico e implantação dos 24 postos de atendimento ao usuário.
 
Em seguida, a meta foi cumprir os programas de obras considerados emergenciais estabelecidos no contrato para os trabalhos iniciais concluídos no 12° mês, com a execução de obras e serviços de recuperação, imprescindíveis à operação da rodovia, tanto no que se refere à condição do pavimento quanto à recomposição, implantação, substituição de elementos de drenagem, sinalização, proteção e segurança, pontes etc.
 
Concluída essa fase, segundo a concessionária, o foco foi voltado à conclusão da duplicação de aproximadamente 70 km de rodovia no segmento compreendido entre Uberaba (MG) e o entroncamento da BR-262/MG com a BR-153/MG, e da implantação das 11 praças de pedágio de modo a obter autorização da ANTT para permitir o início da cobrança, que passou a vigorar em junho de 2015.
 
Atualmente, as atenções estão voltadas para o cumprimento das demais metas de duplicação dos 647 km da rodovia no Estado de Minas Gerais e implantação do contorno de Goiânia, principalmente.
 
O contorno de Goiânia (GO), com 44 km de extensão, irá retirar o fluxo de longo curso de dentro das áreas já densamente urbanizadas dos municípios de Goiânia e Aparecida de Goiânia, e a implantação da terceira faixa de tráfego entre Goiânia e Anápolis (GO), trecho este que, segundo a Concebra, está entre aqueles com o maior volume diário médio do País.
 
Sobre a duplicação de 647 km, destacam-se dois segmentos relevantes: a conclusão da duplicação da BR-153/MG, desde o “trevão” no km 58 até a divisa com o Estado de São Paulo, no km 247; e a duplicação do segmento na BR-262/MG, entre os municípios de Luz e Campos Altos, com relevo montanhoso, no qual a rodovia vence uma diferença de nível de 500 m e tem o seu traçado desenvolvido ao longo de um espigão.
 
Logística complica os trabalhos
Pelo fato de o trecho concessionado ser muito extenso, a diretoria de Engenharia da Triunfo Concebra aponta muita diversidade ao longo da rodovia, como relevo, características de solos, materiais de fundação, agregados minerais disponíveis, condições da pista existente etc., o que exigirá soluções especificas nos diversos trechos.
 
O segmento de rodovia da Serra da Saudade, em Minas Gerais, por exemplo, com relevo acidentado, exigirá na sua duplicação obras especiais de contenção, como muros de arrimo, cortinas atirantadas, solos grampeados, aterros armados e obras de arte especiais.
 
Já na região de Araxá (MG), a rodovia cruza com a ferrovia administrada pela FCA em quatro pontos, sendo que em três deles está prevista a construção de túneis em solo (com aplicação de enfilagem, cambota metálica, concreto projetado, chumbadores e tirantes, além das obras de emboque e desemboque) para permitir a transposição da via férrea sem interromper sua operação.
 
Também estão previstas obras de melhorias, mesmo em segmentos de rodovia já duplicada, principalmente nas passagens em áreas urbanas, onde há necessidade de obras para separar o fluxo de longo curso com o tráfego local.
 
De acordo com o programa de exploração rodoviária (PER) definido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), os 1.176 km de extensão da concessão são subdivididos em 23 segmentos homogêneos, que são trechos da rodovia que possuem variáveis com características constantes ao longo da sua extensão. Estes 23 segmentos homogêneos foram reagrupados pela concessionária em seis lotes de aproximadamente 200 km cada, possibilitando uma gestão mais assertiva.
 
A concessionária avalia que é fundamental, além do gerenciamento da engenharia, o papel de sua integração com a operação, na inspeção rotineira através das VITs (veículos de inspeção de tráfego) com o registro e comunicação de eventuais problemas percebidos nestas vistorias, que permitem que ações preventivas sejam tomadas de forma imediata.
 



quarta-feira, 31 de agosto de 2016
Fonte: Redação OE
Publicidade
  • contato internacional
  • app ranking
  • Linha do Tempo
  • Guindaste Terex instala ponte metálica

A Revista

- Perfil

- Publicidade

- Assinaturas

Eventos

Contato

Rua Marquês de Paraná, 471
Cep: 05086-010 - sala 10 - Alto da Lapa - São Paulo/SP
Fone: (11) 3895-8590

 

500 Grandes

Edições

 
 
A republicação e divulgação de conteúdos públicos são permitidas, desde que citados fonte, título e autor. No caso dos conteúdos restritos, não é permitida a utilização sem autorização do responsável. É totalmente livre a citação da URL do Portal (http//www.revistaoempreiteiro.com.br) em sítios e páginas de terceiros.
© 2017 - O Empreiteiro - Todos os direitos reservados.
Tendenza Tecnologia